Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Protocolo de Quioto (9º Ano)

por Mäyjo, em 14.05.09

O Público on line tem uma notícia de onde retirei o seguinte extracto:

 

Filipe Duarte Santos acredita que a solução para os problemas ambientais do futuro não passa apenas pelo desenvolvimento sustentável. “Hoje somos um grupo social único [do ponto de vista ambiental] e a nossa sobrevivência depende de conseguirmos defender todos os seus membros”.
As negociações para encontrar um sucessor para o Protocolo de Quioto, que expira em 2012, espelham essa necessidade, lembra. E é premente que isso aconteça rapidamente. “É urgente porque, convém lembrar, quando acabar o dia 31 de Dezembro de 2012, a humanidade não tem nada”.
 

 

Cabe pensar: E depois?

Mas eu pergunto antes: Ainda faltam 3 anos e os descendentes do Tio Sam ainda não assinaram este, não será que era por aí que deviamos começar?

Se pensarmos muito no futuro e deixarmos para depois o presente, se calhar não nos temos que preocupar pois não vai haver esse futuro!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:12

Visita ao Carsoscópio

por Mäyjo, em 13.05.09

Hoje fomos visitar o Carsoscópio, em Alcanena (Centro de Ciência Viva do Alviela) e as grutas de Mira d´Aire.

Foi muito divertido. Aconselho todos (principalmente os que não conhecem) a visitarem o Carsoscópio.

Quanto às grutas apetece-me dizer como o ditado: "Cria fama e deita-te a dormir". Não penso lá voltar!

 

Mas enfim! Já postei no outro blog, estou cansada mas não quis deixar de colocar as fotos que os alunos me pediram.

O amigo Sapinho hoje não está de muito bom humor e o serviço de fotos não está a funcionar muito bem. Assim, aqui ficam algumas fotos, depois colocarei mais e direi mais coisas sobre o dia de hoje.

Aos meus "meninos", descansem bem que amanhã voltamos ao trabalho e vamos ver quem aproveitou bem o dia de hoje (para aprender claro ;)  ...)!

 

 

 

 

 

P.S. - Para quem gosta da natureza e em especial de animais (neste caso morcegos) não pode perder aqui. É o sitio que a monitora nos falou; já vi é muito giro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Esclarecimento

por Mäyjo, em 12.05.09

Quando alguém me pede...

eu tento esclarecer.

 

A Rita pediu um esclarecimento sobre o enfraquecimento dos ventos alisios.

Aqui fica um extracto do documento e o link, onde podem encontrar a resposta.

 

in: http://www2.fis.ua.pt/torre/Clima%2010%20ultimos%20anos/Clima%2010%20ultimos%20anos/Tarefa%206/fernanda%20e%20Guilhereme/teleconexoes.doc

 

 

O El Niño representa o aquecimento anormal das águas superficiais e sub-superficiais do Oceano Pacífico Equatorial (Sampaio, 2001).
              As anomalias do sistema climático que são mundialmente conhecidas como El Niño e La Niña representam uma alteração do sistema oceano-atmosfera no Oceano Pacífico tropical, e que tem consequências no tempo e no clima em todo o planeta. Nesta definição, considera-se não somente a presença das águas quentes da Corrente El Niño mas também as mudanças na atmosfera próxima à superfície do oceano, como o enfraquecimento dos ventos alísios na região equatorial. Com esse aquecimento do oceano e com o enfraquecimento dos ventos, começam a ser observadas mudanças da circulação da atmosfera nos níveis baixos e altos, determinando mudanças nos padrões de transporte de humidade, e portanto variações na distribuição das chuvas em regiões tropicais e de latitudes médias e altas. Em algumas regiões do globo também são observados aumento ou queda de temperatura.
              A célula de Walker nesta região possui em baixos níveis da atmosfera (próximo à superfície) ventos de leste para oeste, em altos níveis ocorre o contrário, ou seja, os ventos são de oeste para leste. Com isso, o ar que sobe no Pacífico Equatorial Central e Oeste desce no Pacífico Leste (junto à costa oeste da América do Sul), juntamente com os ventos alísios em baixos níveis da atmosfera (de leste para oeste) e os ventos de oeste para leste em altos níveis da atmosfera. (Figura 3).
              Com a ocorrência deste fenómeno há um enfraquecimento dos ventos alísios podendo até, em algumas regiões do Pacífico, ocorrer inversão dos ventos, ficando estes de oeste para leste. Com isso as aguas superficiais, que são mais quentes da costa Sul Americana, não são mais transportadas como antes. Logo todo o Oceano Pacífico Equatorial começa a aquecer, havendo evaporação com movimento ascendente que por sua vez gera a formação de nuvens. A diferença é que, ao invés de se observar a formação de nuvens com intensas chuvas no Pacífico Equatorial Ocidental, observa-se a formação de nuvens principalmente no Pacífico Equatorial Central e Oriental.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:14

"Ajuda" para o 9º Ano

por Mäyjo, em 10.05.09

Aproximam-se os testes do 9º ano e como eu gosto de "ajudar" os alunos, deixo aqui uma notícia que me parece interessante, e "talvez" útil:

 

Cientistas sequenciam os genomas de algas que regulam CO2 nos oceanos

Uma equipe internacional de pesquisadores sequenciou os genomas de duas variedades de algas verdes microscópicas, mostrando os genes que lhes permitem capturar o gás carbónico (CO2) e manter o equilíbrio químico dos oceanos. É o que revela um estudo [Green Evolution and Dynamic Adaptations Revealed by Genomes of the Marine Picoeukaryotes Micromonas] divulgado no dia 9 de Abril.

Essas algas marinhas, que medem menos de um mícron de diâmetro, ou seja, um 1/50 da espessura de um fio de cabelo, são as mais comuns nos oceanos ao redor do globo –dos trópicos aos pólos.

Matéria da Agência France-Presse, em Washington, com informações complementares do EcoDebate.

  

Aumento da concentração de CO2 pode aumentar as zonas mortas oceânicas

hipoxia

Mudança climática agravará zonas mortas do oceano - As chamadas zonas mortas do oceano aumentarão se o aquecimento global e as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera não forem reduzidos, adverte um grupo de cientistas em estudo [OCEANS: Limits to Marine Life] publicado pela revista Science.

De acordo com os pesquisadores do Instituto de Pesquisas do Aquário da Baía de Monterey, as zonas mortas aumentaram nos últimos anos, por conta da rápida redução do oxigênio disponível nas águas dos mares.

Como resultado, houve uma rápida acidificação das águas, que se tornam incapazes de suportar vida. Matéria da Agência EFE.

 

in: http://www.ecodebate.com.br/tag/co2/">http://www.ecodebate.com.br/tag/co2/

 

 

NOTA: Sempre quero ver quem leu isto e se lhe ligou alguma impotância.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:30

Bacia do Guadiana

por Mäyjo, em 05.05.09

Balboa: Governo reclama reformulação do projecto por esperar "impactes negativos" na bacia do Guadiana

05 de Maio de 2009, 16:53

 

Lisboa, 05 Mai (Lusa) - O Ministério do Ambiente defendeu hoje a reformulação do projecto da refinaria Balboa, em Espanha, considerando que "poderá ter impactos negativos significativos sobre as massas de água da bacia hidrográfica do Guadiana".

No parecer sobre o projecto, já enviado às autoridades espanholas e divulgado hoje divulgado, o Governo português considera "não serem expectáveis" quaisquer impactos negativos a nível de conservação da natureza, qualidade do ar e recursos hídricos.

No entanto, defende que são necessárias duas alterações essenciais: "a adopção de sistemas de tratamento avançados que eliminem ou reduzam significativamente as cargas totais dos poluentes" e "a alteração da solução de descarga dos efluentes industriais para fora da bacia hidrográfica do Guadiana".

 

in: http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/9635202.html

 

 

Aqui está uma notícia que pode ser útil aos meninos do 10º ano, ou não estivessemos a falar destes assuntos: gestão das bacias hidrogáficas!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:58

Proposta de resolução do teste do 10º Ano

por Mäyjo, em 03.05.09

 

PROPOSTA DE CORRECÇÃO DO 8º TESTE DE GEOGRAFIA –10º Ano
Abril de 2009
I
1.1- A opção correcta era:
B. As figuras 1 e 2 são situações típicas de Inverno, enquanto que as figuras 3 e 4 são situações típicas de Verão.
 
1.2.1- Figura 4;
1.2.2- Figura 1;
1.2.3- Figura 3;
1.2.4- Figura 2;
1.2.5- Figura 3 e 2;
1.2.6- Figura 1 e 4,
1.2.7- Figura 4;
1.2.8- Figura 2.
 
2- As opções correctas eram:
2.1- B. … 2A e 2B.
2.2- D. ... Sudoeste.
2.3- D. ... uma frente oclusa.
2.4- A. ... um anticiclone.
2.5- C. ... a atmosfera tem movimento de rotação.
 
II
1.1- A resposta deveria referir os seguintes aspectos: Temperatura mínima registada em Janeiro (11ºC) após a que aumenta até atingir o valor máximo em Julho, Agosto (25ºC), voltando a diminuir até Dezembro; amplitude térmica anual de 14ºC.
1.2- A resposta deveria referir os seguintes aspectos: Registam-se precipitações pouco abundantes durante todo ano. Chove mais no inverno e Outono (máximo de 70mm em Março) e menos na primavera e no Verão (mínimo de 2mm em Agosto), registando-se 6 meses secos – de Abril a Setembro.
1.3- A resposta deveria referir o clima temperado mediterrâneo.
1.4- Sul de Portugal continental: Alentejo ou Algarve.
 
III
1- A resposta deveria referir a região do noroeste (Minho).
2- A resposta deveria referir as chuvas orográficas e frontais.
3- A resposta deveria referir os seguintes aspectos: Os valores devem-se ao afastamento do oceano – junto ao litoral, a esta latitude, existe uma “barreira” de relevos concordantes que impede a progressão das massas de ar húmido vindas do mar. A precipitação ocorre nessa região (junto ao litoral); quando atingem esta área as massas de ar não têm grande humidade (são mais secas) e não ocorre grande quantidade de precipitação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:10

Proposta de resolução do teste do 8º Ano

por Mäyjo, em 01.05.09

 
GEOGRAFIA
Proposta de correcção do 8º teste de avaliação – 8º Ano
Abril 2009

 
 
 
 
 
 
 
1- Matérias-primas; vias de comunicação; lugar sagrado; fluxos de pessoas e bens; relevo; vegetação.
 
2- I – B – D;   II – A – F;   III – C – E.
 
2.1- Espaço densamente construído e povoado, concentrando as actividades industriais, comerciais, de prestação de serviços e político-administrativas. As cidades são o pólo organizativo e dinamizador das sociedades modernas.
 
3- A – Espaço rural: 3, 4, 5, 6, 7;     B – Espaço urbano: 1, 2, 8, 9.
 
4- O modo de vida rural caracteriza-se por uma grande calma e tranquilidade, deslocações frequentemente a pé, refeições feitas em casa com a família (…), por oposição o modo de vida urbano caracteriza-se por uma grande agitação e muito stress, deslocações de automóvel e/ou meios de transporte colectivos, refeições rápidas, frequentemente fast-food, feitas a correr, em restaurantes e cafés (…).
 
5.1-Taxa de urbanização é a percentagem de pessoas que vive em áreas urbanas em relação ao total de população.
5.2- A população urbana tem vindo a aumentar porque as pessoas sentem-se atraídas pelas cidades. Na cidade têm melhores condições de vida: há mais emprego, mais fácil acesso à saúde, à educação, ao comércio, a actividades de lazer…
5.3-América e Ásia.
 
6.1- Planta ortogonal.
6.2- O texto refere “… uma malha perpendicular de ruas, (…) quarteirões de dimensões regulares…” que são características das plantas ortogonais.
6.3- Planta irregular e planta radiocêntrica.
6.4- CBD – Central Business District; é o centro da cidade.
6.5- Durante o dia é um espaço muito movimentado e com muitas pessoas mas durante a noite está quase deserto, pois é uma área na qual não habita praticamente ninguém. O preço do solo é muito caro e isso impede a construção para habitação, os edifícios são destinados a escritórios e actividades ligadas aos serviços: bancos, seguradoras, sedes de empresas, etc.
6.6-Área industrial, área de lazer, área residencial…
 
7.1- Computadores, calçado ortopédico, hospitais, universidades, cinemas…
7.2- Vegetais, fruta, peixe, ovos, leite…
7.3- A cidade não produz tudo o que precisa e não consome tudo o que produz, acontecendo o mesmo com as outras áreas (rurais, piscatórias, industriais), assim têm que se estabelecer trocas entre as diferentes áreas de modo a que cada uma tenha o que necessita e venda o que tem em excesso estabelecendo-se assim relações de complementaridade.
 
8.1- Poluição (atmosférica e sonora), congestionamento de trânsito, dificuldades de estacionamento, problemas de abastecimento, dificuldades de tratamento de resíduos (esgotos e lixo)…
8.2- Restrições à circulação automóvel dentro da cidade, parqueamento pago e limitado, planeamento e administração de redes de abastecimento (alimentos, água, electricidade…) devidamente planeadas e estruturadas com criação de reservas em armazenamento, construção de ETARs e de aterros sanitários bem como de uma adequada rede de recolha desses resíduos…
8.3- Países em desenvolvimento, porque não têm tantos recursos (dinheiro) para poderem implementar as soluções mais adequadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:05

Pág. 3/3



Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2009

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D